“Ah, meu Deus! Assisto com muita tristeza a pena fria da aspereza dilacerando a beleza de uma linda sinfonia. A aguarrás de juizes, ciumentos inflexíveis, descolorindo as matizes de uma linda pintura, só porque não gostam da assinatura?”

“Enquanto muitas nações, governos e religiões ensaiam a dança da guerra, na verdade a bola azul quase nunca foi amada… é sempre penalizada tem um trabalho enorme, dedicação e talento pra preparar a mistura, juntar os elementos dar forma às criaturas que depois de parida, desconhece a matriarca e ainda dizem mal agradecida, que a carne é fraca. E quando planeta gera um avatar, um iluminado, assim como o nazareno, tem logo quem se apresenta com o conhecimento profundo e diz: “num é desse mundo, só pode ser extraterreno”. É difícil entender por que até hoje, o homem cospe no prato que come.”

“A intolerância é a mais triste das doenças”

“Até as religiões, guardiãs da luz celeste abandonam seus archotes, para empunhar cacetetes”

“Judith, meus os olhos encheram d’ água para apagar essa chama da intolerância insana que com soberba e com frieza, nos homens coloca venda para que não veja a beleza das diferenças entre nós.”

http://terranauas.blogspot.com.br/2012/03/os-intolerantes-alabe-de-jerusalem.html