Quem diria que um bichinho tão pequeno seria capaz de unir todas as nações, a fim de concentrar esforços em prol do bem comum?!

Jamais, em minha vida, havia presenciado a solidariedade de tantas pessoas, unidas em oração.

Não podemos negar que o medo existe. Doença, escassez, estresse, bem como outras adversidades que nos atacam. Mas no fundo sabemos que existe uma “Força Maior”, que tudo vê, tudo ouve, que está no comando.

É tempo de amar. Tempo de perdoar, de sentir compaixão pelo seu irmão. Não importa sua preferência política, sua cor, sua opção sexual.

Se eu tivesse uma semana de vida. O que eu faria? Sinceramente, não consigo parar para pensar nisso. Jovem e saudável, não me vejo a ponto de refletir desse modo.

Mas quantas vezes o mundo terá que passar por isso para eu entender que a qualquer momento é hora de partir.  Quando minha mãe se foi, não tive tempo de dizer o quanto a amava. Nem meu pai.

E quanto à sua mãe, seu pai. Que tal aproveitar essa semana para mostrar o quanto você os ama. Porque falar “eu te amo”, talvez você não tenha esse hábito. Mas habitue-se a demonstrar gestos amorosos. A tolerância e a paciência também são formas de expressar amor.

Acredito que existem pessoas lendo agora essas palavras, que possuem um amor no coração tão grande, mas têm dificuldade em demonstrá-lo, em colocar pra fora. Não podemos “pôr a lâmpada debaixo do alqueire”. Talvez, você que está lendo agora, tem um sorriso tão bonito, uma palavra capaz de confortar e edificar, um abraço sincero, um olhar caloroso.

Façamos desse momento a hora de romper as barreiras que represam nossos sentimentos. Vamos sorrir, vamos cantar. Vamos aguardar ansiosos o dia de poder voltar a abraçar nossos amigos, apertar suas mãos, dar um beijo fraterno expressando nosso amor. Aliás, no ambiente de trabalho, não é muito comum haver beijos e abraços. O toque é restrito. Mas quando se está afastado dos colegas, alguns paradigmas podem se quebrar. Beije; abrace; sorria.

Seja você mesmo(a) sempre, mas sempre  mais feliz 😉