Na estrada da vida, ao encontrar alguém, por mais agradável que seja sua companhia, é preciso consentir que talvez sua caminhada tenha sido árdua nessa estrada. E assim, é preciso parar um pouco para tirar as sandálias, e descansar. Por mais que queiramos que caminhem conosco, se faz necessário respeitar a escolha de cada um.

Outrora, caminhando no mesmo passo, lado a lado com outras pessoas, a estrada se bifurca, e cada um deve seguir sua direção. Não sofremos por causa das pessoas. Elas não nos fazem sofrer. É só mais uma dissimulação da mente encarnada em um mundo que tão pouco conhecemos. Diga-se de passagem, não somos daqui.

A razão dos nossos sofrimentos se resume em uma só palavra: “ego”.

Somos puro amor na essência. O amor não dói, não machuca, não fere, não engana, não escraviza.

Quem dera que todos que encontrássemos nessa viagem pudessem ir no mesmo rumo que nós. Mas elas também estão só de passagem, por isso cada qual tem o seu destino.

Desse modo, jamais se pode esquecer que ninguém dura eternamente em nossas vidas.

Ronaldo Figueira