Cumpre a mim vos dizer sobre os aspectos gerais que compõem o nosso trabalho c.

Milhares de espíritos estão próximos a vocês, na Terra.
Todos, por meio da ressonância, se counicam convosco, de alguma forma, em menor ou maior grau.
Muitos têm medo de espíritos. Acham que somos fantásmas, ou que vocês são loucos.
Nem uma coisa, nem outra. O mundo espiritual existe. Vocês viverão, não só neste mundo.
O processo pelo qual chamam de morte, nada mais é que um complemento, uma passagem para a estrada que leva ao caminho eterno.
Então, por que temer a algo tão natural?
Por que achar que tudo acaba com o último sopro, com o apagar das luzes?
Sinceramente, sinto que falta mais interesse nas coisas não mundanas.
Dentro do sistema aonde o dinheiro se torna o principal foco, as pessoas pouco tempo têm para refletir sobre o que realmente estão fazendo aqui.
Sem saber onde estão, preferem crer que tudo acaba quando se fecha os olhos. Assim não terão o trabalho de se auto questionar.
Deixando de lado este assunto, atentem-se ao fato de estarem passando por uma transição planetária, a qual gera mudanças em muitos aspectos.
Pessoas mais sensíveis, mudanças estruturais na economia e uma incerteza muito grande quanto ao futuro. O que fazemos do nosso lado é ajudar aos governantes no intuito de agirem com mais afinco nos propósitos do bem.
Porém, os maiores entraves são os sentimentos das próprias pessoas. Se todos vibrassem harmonia e paz, não haveria tanta violência e corrupção.
Lembrem mais de orar e vigiar, pois muito do supérfluo que vos cerca, de nada lhes servem para seu adiantamento espiritual.
Permitam-se ler mais; deixar menos tempo para o barulho. Aprendam com o silêncio, pois este é divino.
Caminhem rumo à justiça, pois só assim poderão por ela clamar.
No momento, é só isso que tenho a dizer.
Campos de Barros