Olhei para o céu;
Doze estrelas e um querubim;
Quando a noite fez cair o seu véu;
Um anjo sorriu para mim;

Doze tribos de Israel;
Suave fita de cetim;
Enlaça-nos um doce mel;
Que está escrito em marfim;

Unidos à Matilde e Miguel;
Lembro de quando me disse sim;
Pondo em meu dedo um anel;
Há doze anos, de amor sem fim;