Tenho que confessar uma coisa. Tenho medo de choque.
Desde criança, sempre tive muito medo de ficar grudado na tomada. Até que um dia, depois de adulto, estava eu, sozinho em casa, e levei um belo choque. Fiquei grudado por algum tempo. E hoje evito, a todo custo, ter de enfrentar uma situação que envolva eletricidade. Seja para trocar uma lâmpada, ou um chuveiro; seja para consertar uma tomada; seja como for.
O que isso tem a ver com a espiritualidade?

O mistério da reencarnação é como alguém que precisa aprender a trocar uma lâmpada, um chuveiro, etc. Pois tudo isso é necessário para o nosso aprendizado. Precisamos aprender para utilizar os recursos de que dispomos.
No entanto, na tentativa de aprender a lidar com a energia “elétrica”, acabamos por quebrar algumas “tomadas”. E agora, precisamos continuar aprendendo. Só que para isso, devemos “consertar” a tomada que quebramos.
Poderia ser muito simples, e é. Mas tudo se complica quando trazemos um trauma, qual seja, o medo de levar choque de novo.
Daí então, para mexer na “tomada”, tomamos tantas precauções, pensamos muito, estudamos, mas não saímos do lugar, certas vezes.
Para certificar-se de que não vou levar um choque, desligo a chave geral da casa. Dou mais uma olhada, me dirijo à tomada que será consertada, e ainda assim, receio que nesse ínterim, alguém já tenha ligado a chave geral.
Me cerco das ferramentas necessárias, como alicate, chave de fenda, dentre outros. Verifico se o cabo do alicate está vedado com material isolante. Mas mesmo assim, seguro a ferramenta com fragilidade, temendo levar uma descarga elétrica, a qualquer momento. Segurando o alicate na ponta dos dedos, tenho dificuldade em executar o “serviço”. O alicate cai de minha mão, e continuo assim, fazendo várias tentativas, durante muito tempo.
Para sairmos da escuridão espiritual, precisamos acender uma luz. E quando essa luz, para ser acesa, precisa ser consertada, não podemos nos esquivar de fazer as reparações necessárias; ainda que pra isso levemos alguns choques, de vez em quando.
O grande “X” da questão é que o medo nos paralisa ao ponto de acharmos que sentiremos a dor do passado, ao corrigir os problemas presentes em nossas vidas.
Lembremos que o Criador nos oferece todas as ferramentas necessárias para o nosso desenvolvimento espiritual. E ainda que levemos alguns “choques”, devemos avançar, caaminhando rumo a nossos objetivos.
Após consertar as tomadas de nossas vidas, não nos faltará luz.