Jesus, eu creio que estás no meio de nós;

Sinto tua mão tocar meu coração;

Botastes a fonte de água pura em lugar que jamais poderia ver;

Dentro de mim;

Quando tocas meu peito, a água viva jorra de meus olhos;

Formando corredeiras de emoções;

Enviaste-me para o deserto desta selva de pedra;

Onde caminho só;

As bestas feras me farejam e se atiram contra mim;

Mas me colocou teus anjos à minha volta;

Em meio aos gritos de silêncio desta cidade, escuto tua vós;

Por raros momentos;

Porém, sem igual.