Meus filhos, parem um pouquinho.
Pensem.
Pensem em quantas vidas, nesse planeta, estão sofrendo.
Os povos do mundo todo interessam-se, cada vez mais, por dinheiro e poder.
Os mais humildes, escravizados no ódio e na intolerância sofrem as amarguras de uma vida desprovida de bens materiais.
Aos que tanto têm, cabe o dever de ajudá-los. Aos que não são ricos em dinheiro, mas em saúde e disposição, devem se colocar a serviço da caridade, lembrando que ninguém é tão pobre que não possa ajudar, nem mesmo tão ocupado que não possa, por alguns instantes, se ocupar de fazer o bem, não só aos familiares, mas também a um desconhecido.
Aquele que lhe é desconhecido hoje, pode ter sido um irmão em outra encarnação.
Sejam fraternos uns para com os outros e não tenham sentimentos de superioridade, pois o maior dentre vós nasceu em uma manjedoura e morreu na cruz.
Paz e luz.
Caboclo Pena Verde