Por que temos sempre que recomeçar?!
Talvez seja este o “axé “de Erê.
Uma entidade tão presente em nossas vidas. Sua doçura, seu sorriso, sempre desafiando novas empreitadas. Se atirando rumo ao novo. E tudo para ele é belo.
Inocência não é ingenuidade. É a virtude que só os corações puros podem carregar.
E vocês, por viverem os desafios em uma Terra em que bons e maus se comungam, aprendem uns com os outros, a difícil arte de caminhar.
Algumas vezes, essa caminhada se torna sem rumo certo. Mas todos têm uma linha de chegada. Até andando em trilhos paralelos, há um aprendizado a assimilar.
Os passarinhos voam como gaivotas. São tão frágeis e ao mesmo tempo, tão destemidos, pois voam alto.
Ser forte; ser bravo, não é fazer cara feia para o mundo. É saber sorrir quando ninguém lhe faz um afago.
Os fortes, assim se afirmam para o mundo. O menino Jesus virou homem, o Cristo; o mais forte dentre vós.
Superou os desafios; a tristeza, a traição, a negação, a solidão, o martírio… Isso é ser forte.
Amor; palavra de sentimento tão valioso, porém, tão mal compreendido.
Amor não se ganha de graça, se conquista.
Não se cobra. Se dá.
Não é tão simples sorver o néctar de um delicado sentimento, tão entranhado no íntimo do ser.
Mais fácil seria espremer e retirar a seiva. No entanto, se fosse espremido, só sairia o sangue e não o mais nobre sentimento.
Amar é conquistar, é doar, é contagiar…
Amar é poder gozar da graça de viver. Saber que se está vivo, e poder, a todo o momento contemplar a vida que há em vós e ao seu redor.
O Sol, a lua, o céu, o canto dos pássaros, o balé das folhas; um perfume com cheirinho de nostalgia. Tudo isso é contemplar a vida e a vontade de se estar vivo.
Se não passássemos pelas turbulências da escola da Terra, o que compreenderíamos sobre os mistérios da espiritualidade maior?!

Inspirado por:
Duda (Erê)