Olhar pra traz;

Ver as marcas de meus passos deixados no chão;

Difícil perceber quando o show está em andamento;

Mas quando tudo passa a gente mata a charada;

A mágica não engana mais a gente;

Não caio no mesmo truque;

Amor; quando tudo passa é fácil racionalizar;

Mas quando se está cego, o castelo de areia é construído bem pertinho das águas, até que as ondas levem;

Mas a marca fica lá.

 

Ronaldo Figueira