É comum, quando há nos templos a manifestação de espíritos, perguntar-se se é um espírito de luz.
Tal pergunta é um tanto quanto complexa para ser respondida com um simples sim ou não. Embora haja uma vasta literatura sobre o assunto, todos consentem que seres considerados “de luz”, são aqueles que se dedicam à prática do bem. A contrarium sensu,espíritos sem luz são considerados aqueles que não se dedicam às atividades edificantes, falando a grosso modo.
No entanto, precisamos refletir sobre a realidade de que somos também espíritos e, assim sendo, embora estejamos encarnados no momento, nossas estruturas psíquicas se assemelham.
Da mesma forma em que há seres humanos encarnados mais adiantados, há também espíritos mais adiantados e vice versa.
Outra questão é definir o que vem a ser adiantado, ou em que área se dá tal adiantamento. Nós, seres temporariamente encarnados, podemos ser adiantados em alguns aspectos e não muito em outros. Podemos ter momentos de alegria e tristeza. Os espíritos também podem assim se comportar.
Na verdade, não há uma linha divisória no caráter do seres cósmicos, de modo a poder classificá-los como X ou Y. Podemos ter espíritos muito iluminados em alguns aspectos e em outros, nem tanto.
Por isso, é um tanto quanto redundante perguntar a um espírito se ele é de luz, até mesmo porque os espíritos também mentem.
Nesse caso, uma árvore se conhece pelos seus frutos. Os espíritos procuram, através do seu intercâmbio, trazer um exemplo de boa conduta moral. Tem por missão ajudar e aprimorar nosso caráter. Mas também são seres em fase de evolução. Também tem suas mágoas, suas dores, e alguns, ora fazem o bem, ora fazem o mal. Diga-se de passagem, o mal só existe na Terra porque há conexão com este sentimento nos corações humanos.
Como tudo obedece a lei de afinidade, precisamos orar e vigiar, a fim de atrairmos os espíritos que estejam em sintonia com os propósitos do bem, lembrando que a fé sem razão é uma fé vazia.
Enfim, para se saber o quão iluminado é um espírito, basta analisar suas obras e seus propósitos. Um espírito bom jamais irá se submeter a realizar pedidos de uma natureza que não seja condizente com aquilo que edifica sua jornada; a caridade.
Ronaldo Figueira