O mundo precisa de mais poesia;

Precisamos saber admirar a noite,

apaixonar-se pelo luar;

Olha quantas estrelas piscam para nós;

Sobre um grão de areia aqui estamos;

Neste universo sem fim;

Uma suave brisa toca meu rosto;

Enquanto um perfume malicioso lambe minh’alma;

Fúria, desejo,

mistério e loucura;

Calma, lucidez é um misto agonia e ternura;

Que não tarde a ir-se embora;

Diante de raio que agora;

Me põe pra fora de mim;

 

Ronaldo Figueira