A dança é, assim como todas as manifestações artísticas, algo que parte do espírito, isto é, do íntimo de seu ser.
Pode-se ensinar alguém a dançar, mas jamais poderá ser dado o dom da dança a qualquer que aprenda alguns passos.
O que há de mais interessante em tudo isso é o aspecto místico que existe nesta arte tão bonita que transcende as culturas e gerações.
É muito comum sentir-se leve ao dançar, assim como entusiasmo e alegria. Algumas pessoas podem ter dificuldades ao ensaiar e ainda assim, se superam no momento do espetáculo.
Diante desta e de outras evidências, qualquer pessoa que se dedique ao estudo da espiritualidade, chegará à conclusão de que a dança é a capacidade de fundir os seres de dois mundos em um só lugar.
Enquanto os movimentos corporais transmitem vibrações físicas, estas são acompanhadas das vibrações espirituais dos bailarinos do astral.
O mundo dos espíritos também é repleto de arte; inclusive a dança. À dança de boa qualidade, podemos atribuir tal inspiração, ao plano superior. O contrário disto também ocorre nas danças de péssimo gosto. Estas também tiveram a influência de espíritos, porém, do astral inferior.
Por isso que precisamos nos entregar às boas vibrações do universo, a fim de permitir que nosso espírito nos leve de encontro às danças que nos fazem vibrar sentimentos de alegria e contentamento.
Muitas vezes, o efeito de um passe espiritual não se compara a reenergização que passa uma dançarina.
Logicamente, respeitando a individualidade de cada ser, para alguns, a dança é o melhor remédio.
A cada dia que passa, mais pessoas adentram aos consultórios, em busca de uma terapia para combater a depressão. Obviamente, deve-se respeitar cada caso. Mas a grande dificuldade deste nosso início de década é encontrar a autoestima para buscar sua alegria de viver. Considerando as devidas proporções, algumas horas de dança, em certos casos, equivalem a uma longa terapia.
Não é só um conjunto de movimentos, a dança une corpo, mente e espírito, fazendo com que a pessoa se entregue por inteiro à tarefa em curso.
As forças que se movem, fazem desta arte uma verdadeira magia. Algo muito comum é encontrar dançarinos que aparentam possuir idade muito menor do que de fato. Isso ocorre devido à magia da dança possuir um grande potencial reciclador de energias.
O artista transmite suas vibrações e a platéia às devolve potencializadas.

Assim sendo, recomendo a todos aqueles que desejam reencontrar a alegria de viver, que aceitam um convite para a dança e permitam-se contagiar nesta magia; a dádiva de se entregar por inteiro à felicidade.
Ronaldo Figueira