O grito que ecoa no silêncio;
Emerge pela gruta estreita do ser;
Salta e atira-se no penhasco do vazio;
Quem poderá me ouvir?!

Ronaldo Figueira